terça-feira, 21 de junho de 2016

Por que um Cristão Não Pode Ser Marxista? JC Chaguri


segunda-feira, 13 de junho de 2016

ESBOÇO DE SERMÃO: O ENCONTRO COM A MULHER SAMARITANA.


Texto: João 4:1-42

Introdução:
Jesus saiu da Judéia e se dirigiu para o norte da Galiléia. Ele poderia escolher caminhos:

1.   Seguindo pela Costa.

2.   Atravessando o Jordão e subindo pela Peréia.

3.   Ou Indo por Samaria.

Entretanto os Judeus evitavam passar por Samaria por causa do odio. (Faixa de Gaza atual).

Jesus aqui apresenta os simbolismos da água.

João 2 – Agua nas bodas de Caná da Galileia. Que é transformada em Vinho.

João 3 – Com Nicomedos – nascer da Agua e do Espirito.

João 4 – Com a Mulher Samaritana Jesus é a água da Vida.

Quem eram os Samaritanos?

A.  Era uma Raça mestiça, parte Judia e parte Gentilica, que se formou durante o cativeiro assirio das dez tribos do norte e 727 AC.

B.  Rejeitados pelos Judeus, estabeleceram seu próprio Templo e Cultos religiosos.

C.  O odio dos Judeus com os Samaritanos era tanto, que a lei Judaica exigia que os judeus orassem para que nenhum samaritano se Salvasse.

Chegada de Jesus ao Poço?

A.  Chegou por volta das 18 horas, era o horario das mulheres buscarem água.

B.  Os discipulos foram na cidade buscar comida enquanto Jesus esperou ao lado do poço, cansado, faminto.

C.  João aqui nao mostra Jesus apenas como filho de Deus, mas como homem.

O Dialogo.

A.   Naquele Tempo nao era apropriado um homem se dirigir a uma mulher desconhecida em public. (Jo 4. 27).

B.   Mas Jesus colocou os costumes sociais de lado, para salvação de uma Alma.


João 4. 13 -14: Jesus estava dizendo que as coisas deste mundo nunca satisfazem completamente.

Hoje, eu quero falar com você sobre encontros divinos. Na Bíblia há muitos exemplos de encontros. Mas eu quero basear este sermão especial sobre o encontro da mulher samaritana com Jesus. Quero compartilhar com vocês cinco verdades sobre encontros divinos que aprendi com esta passagem Bíblica.


1.   Encontros Divinos São Compromissos Celestes. Leia João 4:1-6

João 4. 4 “o termo era-lhe Necessario, no Grego é “Edei” – Que reflete compulsão da Ordem Divina.

A.  Os versos iniciais deste capítulo dão a impressão de que todo o incidente foi circunstancial. Mas não foi bem assim.

B.  A vida de Jesus estava sempre em sintonia com o Espírito. Ele viajou por toda a Samaria, porque ele foi levado pelo Espírito aquela aldeia.

C.  Só porque encontros acontecem quando menos se espera, não significa que eles são coincidências ou circunstanciais. Eles são compromissos celestes.


2.   Encontros Divinos Não São Sazonais (determinada época) Ou Geograficos. Leia João 4:7-8

A.  A mulher samaritana não encontrou Jesus em uma sinagoga ou em um edifício dedicado para realizar atividades religiosas.

B.   Era apenas mais um dia normal e ocupado no qual ela realizava suas tarefas domésticas rotineiras.

C.  Encontros não são sazonais ou geograficos. Podemos experimentar um encontro independentemente da época ou lugar, se buscarmos a experiência seriamente.

3.   Encontros Divinos Nos Convencem De Nossa Pecaminosidade. Leia João 4:9-18

Ø No Verso A mulher achou estranho um Judeu Aborda-la. E a parte parentheses (V. 9) do Texto a melhor Tradução é (“Os Judeus não usam Talhas que os Samaritanos Usaram”).

Ø Em Cristo tudo é Purificado.

Porque Jesus usou? Estava ele apresentando três fatos importantes:

1.   Quem Ele era!

2.   O que Ele tinha para oferecer!

3.   E como ela receberia essa Dadiva.

Ø As Palavras de Jesus no Verso 21, “podes crer-me” no grego Pisteuó” significa “Eu sou a Verdade para o fim do Pecado!”

Ø Deus não nos levar a lugar algum que a sua graça não nos acompanhe.


A.  Confrontar seus problemas com o sexo oposto foi o ponto chave do encontro. Isto foi essencial.

B.  É compreensível que ela se sentiu muito desconfortável neste momento; e assim mudou o rumo da conversa de seus problemas pessoais para a adoração. Ela faz uma transição da conversa. (Verso 19 – 21)

C.  O fato de que encontros divinos podem ser muito desconfortáveis, é que eles nos convencem do nosso próprio pecado e nossa necessidade de um Salvador.


4.   Encontros Divinos Reacende O Fogo Em Nossos Corações. Leia João 4:27-30, 41

A.  Seu interesse genuíno no tema da adoração indica que ela era muito religiosa. Seu estilo de vida indica, porém, que ela estava espiritualmente morta.

B.  As palavras de Jesus acenderam nela um fogo mais poderoso do que qualquer religião. Ela correu para contar aos outros sobre o homem que acabara de conhecer.

C.   A mera religião não pode capacitar-nos para a vida Espiritual. Só o fogo do Espírito Santo pode fazê-lo. Apenas um encontro com Deus pode reacender o fogo dentro de nós.


5.   Encontros Divinos Provoca Transformação. Leia João 4:39-42

A.  Nós somos introduzidos a dois tipos de transformação. O primeiro tipo é a transformação individual. (A transformação da mulher samaritana).

B.  O segundo tipo é a transformação da comunidade. (A transformação da aldeia).


C.  Um encontro autêntico será sempre seguido de transformação individual, bem como a transformação de uma comunidade.


Conclusão

UM ACONSELHAMENTO BASEADO NA CARTA DO APÓSTOLO TIAGO!


por João Claudio Chaguri 
Situação Problema
Membros de uma família de sua igreja morrem tragicamente num acidente de carro. Na mesma semana, mais dois membros são diagnosticados com Câncer terminal. E uma jovem senhora grávida de cinco meses perde o bebê num aborto espontâneo
Aconselhamento Bíblico
Neste tipo de caso, a igreja está abatida com o sofrimento. Os membros estão assustados com tudo que tem ocorrido. A primeira ação seria promover com o povo de Deus uma corrente de oração. O que fortaleceria a fé do povo e ao mesmo tempo o povo seria movido pela esperança em Jesus Cristo.    
 Em paralelo faríamos aconselhamento, mostrando que Deus está no controle de todas as coisas e que as provações são oportunidades para Ele mostrar que é Deus. O Sofrimento faz parte da vida humana.
Desde que entrou o pecado neste mundo é perceptível que todos estão sujeitos aos problemas da vida, seja um crente ou um descrente. Entretanto quando ocorre esse tipo de situação em nossa vida, haja vista que somos pessoas crentes em Jesus Cristo, a tendência humana é indagarmos a Deus o porque do sofrimento.
Tenho visto em meu ministério que todo tipo de indagação em relação aos nossos problemas a Deus, sempre gera em nosso coração duvidas, porque nem todas as perguntas são nos respondidas.
Entretanto tenho aprendido no meu ministério que o louvor a Deus nos momentos de provação, chama a presença de Deus, significa mega-poder. O louvor a Deus em meio a provação afasta a presença do inimigo.
Não é por menos que Tiago nos relata: “Bem-aventurados é o  homem que suporta provação, porque aprovado tendo sido receberá a coroa da vida a qual Deus prometeu aos que amam a ele”.
A grande verdade bíblica é que o pecado gera morte, sofrimento e angustia. Mas Deus gera vida e vida em abundancia. Temos que suportar com alegria, pois as provações são oportunidades de refinar a nossa fé, de esmerar nosso caráter e de transformar a nossa vida. O Senhor nos deixou uma linda esperança: “Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo”. João 16.33
Jesus nos faz um alerta que teremos aflições, mas Ele nos disse, “tende bom ânimo” e Tiago nos exortou: “Meus irmãos, tende por motivo de toda alegria o passardes por várias provações, sabendo que a provação da vossa fé, uma vez confirmada, produz perseverança. A perseverança deve ter ação completa, para que sejais perfeitos e íntegros, em nada deficientes”.  Tiago 1. 2-3
“Tende bom animo e Tende por motivo de toda alegria”, apresentam uma forma de confiança em Deus, porque sempre os propósitos de Deus são maiores e melhores, mesmo que em alguns casos parecem que não. Sempre atrás das nuvens escuras, haverá o Sol da Justiça de Deus. 
Quando Deus pediu que Abraão sacrificasse o seu único filho da promessa, (Gn. 22), o objeto do seu amor, ao olhar humano, parece até um pedido estranho de Deus, uma vez que somente em algumas culturas pagãs do Oriente Médio praticavam o sacrifício de crianças. Entretanto o velho homem não postergou a ordem de Deus, pois ele conhecia a voz de Deus.
O Senhor estava ensinando a Abraão, que ele precisava depender Dele, o velho homem Abraão não tinha que depender de Isaque.  Deus deseja que seus filhos nos momentos de provações exerçam a dependência Nele. Depender de Deus é confiar totalmente na Soberania e nos Designíos do Senhor.
 Deus prova o crente para molda-lo e prepara-lo a fim de exercer a sua vida cristã com autenticidade. O Senhor ama aquele que suporta com perseverança as provações.

Assim a provação está para perseverança e perseverança está para perfeitos e íntegros.  Temos que confiar em Deus e por Ele ser perfeito, Ele cumprirá as suas promessas. Ele nos dará a Coroa da Vida.

sexta-feira, 10 de junho de 2016

O Estupro, Resultado da falta do Amor de Deus! Pr. Chaguri