domingo, 5 de maio de 2013

REFLEXÃO DA GRAÇA DE DEUS!

Favor voluntário de Deus, exercido para com os pecadores imerecedores. É inteiramente espontânea de Sua parte e não é condicionada por mérito humano (João 3:16; Efés. 1:3-11). É uma expressão da atitude redentora e amorosa de Deus. Ao aplicar esta graça, Deus dá, antes de requerer. A aplicação desta graça salvadora resulta em perdão, justificação e santificação. Do ponto de vista humano, a qualidade mais notável de Deus é Sua infinita paciência e imutável amor pelos pecadores a despeito de sua infidelidade e rebelião (Ef. 2:8).
O homem é salvo totalmente pela graça, que lhe vem como um dom gratuito de Deus. A salvação é pela graça somente, com a inteira exclusão do mérito, poder ou sabedoria humanos. Graça é uma palavra muito usada em o N.T.. No A.T., não encontramos uma palavra equivalente à graça no sentido que temos em o N.T., embora encontremos a manifestação da graça de Deus em todo lugar no A.T. ao Deus lidar com os pecadores. Os homens no A.T. eram salvos pela graça tanto quanto nos tempos do N.T..
A graça redentora é possível somente através da obra de Cristo (Rom. 3:24; 5:20, 21). Deus não poderia perdoar pecadores fora da obra salvadora de Cristo. A expressão suprema da graça é o que Deus fez em Cristo e através dEle. A graça é ilimitada; ela abrange toda a humanidade e é para todos os homens (I Tim. 2:4; Tito 2:11; II S. Ped. 3:9). Todavia, o homem pode resistir à graça de Deus bem como à influência do Espírito Santo. Ser salvo pela graça é ser salvo totalmente do interior do coração de Deus.
“Graça é a mão de Deus estendida a pecadores miseráveis. A fé é a mão do pecador estendida para segurar na mão de Deus” (H. W. Lowe, Review and Herald, 3/09/1953).
“A graça de Deus estende misericórdia aos que não a merecem e Ele adota em Sua família os que não pertencem a ela por nascimento natural” (W. G. Murdoch, ibid., 21 de abril de 1960).