sábado, 4 de agosto de 2012

Um Panorama!

Aquele que incitou a rebelião no Céu, desejava levar os habitantes da Terra a se unirem a ele na guerra contra Deus. Adão e Eva haviam sido perfeitamente felizes na obediência à lei divina — constante testemunho contra a alegação em que Satanás insistiu no Céu, de que a lei de Deus era opressiva. Satanás decidiu-se a causar a queda de nossos primeiros pais, de modo a obter posse da Terra e aqui estabelecer o seu reino em oposição ao Altíssimo. – {GCC 234.1}
Adão e Eva tinham sido advertidos contra este perigoso adversário, mas ele operou nas trevas, ocultando seu propósito. Empregando como seu intermediário a serpente, então uma criatura de fascinante aspecto, dirigiu-se a Eva: “É assim que Deus disse: Não comereis de toda árvore do jardim?” Eva arriscou-se a argumentar com ele, e caiu vítima de seus engodos: “Respondeu-lhe a mulher: Do fruto das árvores do jardim podemos comer, mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, disse Deus: Dele não comereis, nem tocareis nele, para que não morrais. Então a serpente disse à mulher: É certo que não morrereis. Porque Deus sabe que no dia em que dele comerdes se vos abrirão os olhos e, como Deus, sereis conhecedores do bem e do mal”. Gênesis 3:1-5. – {GCC 234.2}
Eva cedeu e, através de sua influência, Adão foi levado a pecar. Aceitaram as palavras da serpente; desconfiaram de seu Criador, e imaginaram que Ele estava restringindo sua liberdade. – {GCC 234.3}
Mas como Adão compreendeu o sentido das palavras: “No dia em que dela comeres, certamente morrerás”? Deveria ele ser promovido a uma condição mais elevada de existência? Adão não achou ser este o sentido da sentença divina. Deus declarou que, como penalidade de seu pecado, o homem voltaria à terra de onde fora tirado: “Porque tu és pó, e ao pó tornarás”. Gênesis 3:19. As palavras de Satanás: “Se vos abrirão os olhos”, mostraram-se verdadeiras apenas neste sentido: seus olhos se abriram para discernirem a sua loucura. Conheceram de fato o mal e provaram o amargo fruto da transgressão. – {GCC 234.4}
A árvore da vida possuía o poder de perpetuar a vida. Adão poderia ter continuado a gozar de livre acesso àquela árvore, e assim teria vivido para sempre; quando pecou, entretanto, foi despojado da árvore da vida e tornou-se sujeito à morte. A imortalidade fora perdida pela transgressão. Não teria havido esperança para a raça decaída se, pelo sacrifício de Seu Filho Deus não tivesse, trazido novamente a imortalidade ao alcance. Ao passo que “a morte passou a todos os homens, porque todos pecaram”, Cristo “trouxe à luz a vida e a imortalidade, mediante o evangelho”. A imortalidade só pode ser obtida através de Cristo. “Quem crê no Filho tem a vida eterna; o que, todavia, se mantém rebelde contra o Filho, não verá a vida”. Romanos 5:12; 2 Timóteo 1:10; João 3:36. – {GCC 234.5}

ELLEN WHITE

0 comentários: