quarta-feira, 23 de novembro de 2011

FOGO ETERNO

[gr. pyr arbestos, “fogo inextinguível”.] Expressão que denota o meio pelo qual virá a destruição final dos ímpios (Mat. 3:12; Mar. 9:43; Luc. 3:17). A expressão não denota fogo que nunca se extinguirá — por qualquer agente humano. As palavras usadas por João Batista em Mat. 3:12 parecem ser baseadas na predição de Mal. 3:1-3; 4:1. O fogo do cap. 4:1 desaparece quando completou sua obra de destruição (v. 3). Judas citou as antigas cidades de Sodoma e Gomorra como “exemplo do Fogo Eterno, sofrendo a punição” (Judas 1; II Ped. 2:6), embora o fogo que consumiu aquelas cidades ímpias, tendo cumprido sua obra, tenha-se apagado há muito tempo. Elas não estão ardendo hoje e não ardem já há mais de 3.500 anos, mas a *Bíblia as cita como ilustração de como será o fogo do grande e último dia. Longe de transmitir a idéia de um fogo que arde eternamente e no qual os ímpios são indefinidamente atormentados, as Escrituras enfatizam o fato de que os ímpios serão consumidos tão completamente que não restará nenhum sinal deles.

TWITTER: @prchaguri

0 comentários: