domingo, 23 de outubro de 2011

AS BESTAS DE APOCALIPSE 13

Desde os primórdios, as bestas do Apocalipse 13 eram vistas como o Poder Romano e o anticristo, ou como o anticristo e seu “falso profeta”, o “número da besta” 666, era interpretado como o valor numérico de vários nomes, tais como Teitan ou Lateinos. Nos tempos da Reforma, alguns consideravam as duas bestas como a Roma pagã e a Roma Papal; muitos outros designaram a primeira como a Roma Papal. Alguns criam que o número 666 indicava anos; outros que significava um nome. (Andreas Helwig no século dezessete listou nomes, inclusive Vicarivs Filii Dei). E alguns defendiam que a “marca” envolvia subserviência, ou obediência à besta Papal.
No século dezessete, Thomas Goodwin, diretor do Colégio de Magdalena, Oxford, sugeriu que, como a primeira besta simbolizava o Papado, então a imagem evidentemente tipificava a imagem protestante do Papado nas Igrejas reformadas. Este conceito iria mais tarde crescer em aceitação. Isaac Backus, historiador americano batista (m. 1806), considerou a segunda besta como sendo as Igrejas Protestantes do estado, os dois chifres representando a censura da Igreja e o castigo temporal, John Bacon, um juiz congregacionalista, em 1799 aplicou a segunda besta aos clérigos protestantes, embora em 1803 ele estivesse inclinado a determinar os dois chifres da liberdade civil e religiosa a Napoleão. *Guilherme Miller via as bestas como a Roma pagã e Papal; seus colegas mais tarde criam que a primeira besta fosse o Papado, embora tivessem pouco a dizer sobre segunda.
O sinal da besta, tendo sido ligado na Igreja primitiva com o anticristo, naturalmente começou nos tempos da reforma e da pré-Reforma a ser associado à conformidade do poder Papal e aos seus decretos. Na Reforma, o sinal foi relacionado por vários escritores à subserviência, obediência ao Papado. Esta idéia tornou-se generalizada, mas não se fez nenhuma identificação específica da marca.

TWITTER: @prchaguri 

1 comentários:

Anônimo disse...

Felicitações pelo texto,maravilhoso,muito bem colocado histórico-sócio-político,mostrando bem o poder papal através dos tempos,as reformas e contra-reformas,quantos textos foram mudados,reescritos,organizados à moda dos poderosos que dominaram o Planeta.Abraços Pastor Chaguri,sempre sucesso,sabedoria,inspiração DIVINA,Paz para todos.SALAM - SHALOM - ALLAHUAKBAR -