quinta-feira, 23 de setembro de 2010

ESTUDO: A VERDADE DA MORTE!

1.  Como Deus criou o Homem? Gênesis 2.7
2. O que é à alma? Ezequiel 18.4; Gênesis 46:27 e Deuteronômio 10.22
3. O que acontece com o ser humano quando morre? Gênesis 3:19, Ec 12.7, Ec 9.5, 10, Jó 7.9,10.
4. Quem unicamente possui imortalidade? I Tim 6.16
5. O que o pecado trouxe ao ser humano? Rom 5.12, 6.23.
6. Como Jesus considerou a morte? João 11. 11-14.
7. O que ocorrerá com os mortos em Cristo, mediante o Seu retorno? João 5.28, I Tess 4.16.
8. Qual é o plano de Deus para aqueles que participarem da primeira ressurreição? I Cor 15.51-53

Deus fez o homem do pó da terra e soprou nele o fôlego de vida. O homem se tornou alma vivente. A morte é um estado de inconsciência. Jesus a considerou um sono. Os mortos nao sabem coisa alguma. Quando a pessoa morre a mente se apaga. O corpo volta a ser pó da terra e o fôlego de vida volta para Deus. Os mortos justos ficarão na sepultura até a volta de Jesus. Quando viverão com Jesus por toda eternidade!

ENTREVISTA COM O Dr. RODRIGO SILVA

http://www.arqueologiadabiblia.com/2009/01/entrevista-com-o-dr-rodrigo-silva.html

domingo, 19 de setembro de 2010

SUA FORTALEZA!!!


"Para anunciar que o Senhor é reto. Ele é a minha rocha, e nÊle não há injustiça!" Sal. 92.15

Há muitos símbolos usados para representar vários pontos da natureza de Deus. Um desses símbolos maravilhosos que encontramos é a rocha, também podemos ver como rocha eterna! O que uma rocha pode falar de Deus? Na realidade é uma apresentação da estabilidade, firmeza, imutabilidade e indestrutibilidade de Deus. Jesus certa vez falou de um homem que construiu a sua casa em lugares instabilidade(areia), veio a grande tempestade e levou tudo! Mas Jesus também fala daquele que construiu sua casa sobre a rocha resistiu a todo terrível vendaval. Jesus ensina que quando estamos nÊle estamos seguros. Quando o ser humano busca o seu fundamento na rocha Eterna, ele encontra descanso bem presente. Neste caso a rocha também provê abrigo em ocasião de temporal. É uma defesa contra as ondas que rugem nosso ser.
Um Jovem ministro de Gales, visitando uma localidade muito exposta a ventos, pernoitou em casa de um lavrador, Logo que se recolheu, levantou-se um vendaval e a chuva desabou impetuosa sobre aquela casa, de modo que ele temeu que ela fosse destruída. Não podia conciliar o sono. Levantou-se e foi para junto da lareira, preparado para o pior. Seu hospedeiro nem mesmo se acordou. Na manhã seguinte o ministro indagou da razão de sua calma.
-Oh, disse ele, cuidei disto que construí a casa. O senhor vê, construí-a sobre uma rocha!
O Senhor Jesus disse: "Eu sou o Alfa e o Ômega, o primeiro e o último, o princípio e o fim." Apoc. 22:13
Caro leitor construa o seu ser na Rocha Eterna que é Jesus!! Ele é o Alfa e Ômega, o primeiro e o último da sua vida!!]

que Deus ilumine você!!!
Pr. Chaguri


terça-feira, 14 de setembro de 2010

LINDA MENSAGEM DO MEU QUERIDO AMIGO Pr. BECHARA

RETROSPECTIVA: REFORMA DA IGREJA ADVENTISTA DE OSASCO - CENTRAL

UM ESPECTRO DA PRIMEIRA FASE MISSIONÁRIA DE DEUS



O Deus Soberano, Complexo, Relacional, Santo, Bondoso, Ordeiro. Os desígnos de Deus: Desenvolver um projeto relacional, bondoso e universal. Os céus e terra com luz e vida. O ser humano feito para compartilhar a imagem de Deus, governar e andar com Deus. Fé, relação e obediência traz vida; Independência traz morte. Versículos Chaves: Gên. 1. 1-3, 26-28, 31; 2.15-25.

O Deus missionário: O Deus que procura resgatar. Homem e Mulher agora recebe a graça; a provisão bondosa de Deus Consequências de morte física e morte espiritual. Longe da Árvore da Vida/ O véu da separação. Maldita é a terra. Promessa de um descendente vitorioso; a promessa de redenção última. Gên. 3. 9, 15, 17-24.
Por Pr. Chaguri
Mestre em Missiologia

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

A VERDADEIRA LIDERANÇA NO EVANGELHO COMPLETO


Liderança Cristã
Quando os líderes da Igreja seguem o exemplo de Cristo num mundo onde os valores bíblicos e evangélicos são impopulares, cumprem seu papel designado por Deus e avançam superando todos os obstáculos e culturas, formatando o Evangelho e exemplificando em sua própria vida o caráter amável do Salvador.
Evangelho Completo
A Igreja deve viver e praticar o Evangelho em sua totalidade fazendo com que seus membros se familiarizem com a cultura local em conjunto com os princípios Bíblicos. Por isso, a Casa de Oração envida todos os esforços para pregar uma verdade contextualizada. Assim cumpre ela Apocalipse 14, vivendo e pregando as três mensagens angélicas a todo o mundo, tribo, língua e povo. Ensinando e propagando de maneira a mostrar o verdadeiro Evangelho como ele é em Jesus Cristo – uma adaptação crítica e séria feita por todos os membros da Igreja nos seus devidos ministérios.
Assim, na oportunidade que temos de nos aproximar de um novo lugar, (cultura diferente), devemos tirar as sandálias de nossos pés como se esse lugar fosse uma terra santa. Deus trabalha com muitas pessoas antes de os missionários começarem a aproximar-se deles. Por isso, o testemunho silencioso e intencional dos que se dispõem a levar o Evangelho a culturas diferentes é, sem dúvida, uma maneira de contextualizar e, com a ajuda de Deus, produzir excelentes resultados.


Por Pastor Chaguri
Mestre em Missiologia

A VITÓRIA CHEGOU!!!!


Graças a Deus que nos dá a vitória por intermédio de nosso Senhor Jesus Cristo! I Cor. 15.57.


O texto acima nos dá a certeza de que podemos ser verdadeiros vencedores. Aqui se encontra inseridas as fraquezas internas e externas e as pressões que lidamos no dia a dia. A vitória de Cristo nos trouxe a vitória! Neste caso o pecado não precisa ser nosso dominador.

Nossas decisões provavelmente influim na natureza de nossa luta. É importante que decidamos por vitória total e absoluta!

Conta-se a história de um sacerdote da Igreja Anglicana que sofria com um gênio violento, aparentemente incontrolável. Diz que em varias ocasiões , ele orou com lágrimas rolando pela face do desconforto, a fim de vencê-lo, e muito lutou, mas sempre era derrotado, o que levou ao desespero. Certa ocasião, após orar e confessar seu problema e crer que alcançara auxílio para dominar o gênio violento, saiu a cumprir seus deveres. Não muito depois entrou novamente no gabinete, derrotado e de coração triste. Em sua profunda angustia dormiu e sonhou que via um vulto enorme que vinha em sua direção. Logo percebeu que o seu visitante era o Senhor Jesus Cristo. Colocou em ordem sua morada, mas quanto mais arrumava, pior era a desordem. Derrepente o "estranho" bateu a porta. "Oh, que ei de fazer?!" disse o sacerdote, de si para si. "Não posso mandá-lo entrar numa morada em semelhante desordem," e continuou a arrumar o local, até que o "estranho" tornou a bater. "Oh", sussurrou novamente, "não posso abrir enquanto a morada está tão desarrumada para recebê-lo!" Mas tudo o que ele fazia para deixar em ordem, era em vão, e quando o "estranho" tornou a bater, dominado pela vergonha, abriu a porta, dizendo: " - Mestre, não posso fazer mais nada, se quiseres, entra na minha morada tão mal arrumada!"

O Senhor entrou e algo estranho ocorreu: quando entrou, pó se desfez e a desordem desapareceu, e tudo se tornou belo. A presença do Mestre, fizera tudo que em seu defeituoso esforço o sacerdote não conseguiu! Logo acordou e viu que foi um sonho, mas neste sonho maravilhoso, ele conseguiu compreender onde estava seu erro e onde estava a força para se tornar um vitorioso! Jesus disse: "Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e cearei com ele, e ele, comigo!" Apoc. 3.20

Que Deus te abençoe querido internauta!

Pr. Chaguri

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

O QUE VOCÊ NÃO PODE FAZER COM AS SUAS PROPRIAS FORÇAS, DEUS FAZ POR VOCÊ!


Mas Ele respondeu: As coisas que são impossíveis aos homens são possíveis a Deus! Luc. 18. 27.
Há duas lições nesse texto que tem de ser aprendidas por todos que anseiam pela salvação. Primeira, que com respeito à religião, o homem nada pode fazer. Segunda, que o que o homem não pode fazer, Deus faz.
Há pessoas que aprendem depressa a primeira lição. Sentindo que são pecadores, e que para entrar no reino de Deus, não devem ter "maculas" ou coisa semelhante, eles começam a luta contra o "eu" para erradicar o pecado de suas vidas. O grande resultado dessa luta é ápresentado em Romanos 7. "Porque o que faço não aprovo; pois o que quero, isso não faço, mas o que aborreço, isso faço.....Porque sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum: e com efeito, o querer está em mim, mas não consigo realizar o bem......Acho então esta lei em mim, que, quando quero fazer o bem, o mal está comigo.....Miserável homem que sou! quem me livrará do corpo desta morte?" Rom. 7.15, 18, 21 e 24.
Tendo o homem descoberto que não conseguirá vencer o mal por suas proprias forças, muitos desistem, e se afundam ainda mais em seus sentimentos de culpa e com isso se aprofundam no abismo do pecado. Mas este caminho de escuridão se apresenta, porque deixaram de observar a mais importante de todas as lições: "Deus faz por você, Deus luta por você e Deus vence por você!"
"Portanto agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus... Em todas estas coisas somos mais do que vencedores." Romanos. 8.1 e 37.
Deus ilumine sua vida caro internauta!!!
Pr. Chaguri
Mestre em Missiologia

VIDA ETERNA!! VOCÊ DESEJA???


A vida sem fim prometida àqueles que crêem em Jesus Cristo e recebem Sua graça salvadora (João 3:15 e 16; Tito 1:2; I João 5:11). A palavra hebraica ‘ôlam, comumente traduzida por “eterna” ou “perpétua” significa basicamente “alguma coisa escondida”, e deste modo, designa um longo tempo, cujos limites são desconhecidos ou “escondidos”. A duração de ‘ôlam é sempre relativa ou determinada por aquilo a que se aplica. Assim, ‘ôlam pode referir-se ao período de uma vida (Êxo. 21:6) ou a um período cujo início perde-se na antigüidade (Gên. 6:4; Jos. 24:2: Prov. 22:28). Quando usada como representação de sono significa morte (Jer. 51:39). Quando aplicada a Deus, seu significado é ilimitado (Sal. 90:2; Isa. 40:28). A expressão “vida eterna” (chayyê ‘ôlam) ocorre no A.T. apenas em Dan. 12:2. Compare o v. 7, onde Deus é caracterizado como chê ha-ôlam, “aquele que vive eternamente”. Portanto, a implicação contextual é que a vida eterna está na vida de Deus. A mente hebraica concebia o Deus vivo em um tempo sem limite, e não abstratamente no sentido de ser além do tempo. A mesma mente também concebe que aquele a quem Deus ressuscitar, assim viverá.
O termo grego correspondente a ôlam é aión, também designativo de uma longa mas relativa extensão de tempo sendo, portanto, uma tradução adequada de ôlam na LXX. Entretanto, com Platão, aión veio também defender o conceito abstrato e qualitativo de “eternidade” em contradistinção a tempo — uma situação atemporal a que as limitações de tempo não se aplicam. Sugeriu-se que o N.T. dá a aión ambas as dimensões qualitativa e quantitativa, particularmente, nos escritos de João, onde a expressão “vida eterna” é evocada freqüentemente (João 3:16; 5:24; 17:2; I João 1:2, etc.).
Freqüentemente refere-se à “vida eterna” simplesmente como “vida” (zoe), ou “a vida” (grego he zoe). A vida eterna é assegurada àqueles que “crêem”, ou seja, àqueles que têm fé (João 3:16; 11:25 e 26); o objetivo particular da vinda de Cristo foi torná-la disponível ao homem (cap. 6:51, 57 e 58; 14:6, 19), conhecer a Deus e a Seu Filho, Jesus Cristo, é a vida eterna (cap. 17:3).
Em João, duas dimensões de vida eterna estão especialmente entretecidas: vida eterna como um dom, em princípio, quando um homem crê em Cristo (cap. 5:24, ele tem a vida eterna), e como uma possessão literal a ser concedida, na realidade, na parousia (cap. 5:28 e 29). Comentando sobre essas duas dimensões, Ellen G. White declarou:

E o testemunho de Jesus é este; que Deus nos deu a vida eterna; e esta vida está em Seu Filho. “Quem tem o filho tem a vida”. (I João 5:11 e 12) e Jesus disse: “Eu o ressuscitarei no último dia”. Cristo tornou-se uma carne conosco, a fim de podermos nos tornar um em espírito com Ele. É em virtude dessa união que havemos de ressurgir do sepulcro — não somente como manifestação do poder de Cristo, mas porque, mediante a fé, Sua vida Se tornou nossa. Os que vêem a Cristo em Seu verdadeiro caráter, e O recebem no coração, têm vida eterna. É por meio do Espírito que Cristo habita em nós; e o Espírito de Deus, recebido no coração pela fé, é o princípio da vida eterna. (DTN, 370).

O ponto de vista adventista considera a vida eterna “exclusivamente como propriedade de Deus” (Ellen G. White em SDABC, 5:1130). Foi dada a Adão condicionalmente através da árvore da vida (Gên. 2:9; 3:22; PP, 60). Ele perdeu a vida eterna por causa de seu pecado, mas ela é restaurada por Cristo sob condição de “perfeita justiça, harmonia com Deus, perfeita conformidade com os princípios de Sua lei” (MDC, 76). É nossa agora se estivermos em Cristo (I João 5:11 e 12). Nós a possuímos agora mediante condição de nos mantermos ligados a Ele.
Em certo sentido, a vida eterna é uma recompensa aos obedientes mas não é merecida, uma vez que é um “dom gratuito” àqueles que crêem em Cristo como seu Salvador pessoal (IME, 297). . A eternidade é concebida como um tempo ilimitado no qual os salvos terão ampla oportunidade de aprender cada vez mais em relação ao propósito infinito de Deus para eles, apreciar e estudar as maravilhas do Universo e realizar suas mais elevadas ambições.