quinta-feira, 29 de abril de 2010

O Primeiro Exemplo do Apóstolo Paulo na Contextualização

O apóstolo Paulo tinha em seu coração a mesma tática de começar por aquilo que era familiar à cultura e crenças, e depois levá-los ao desconhecido. A Palavra de Deus diz: “Estando Paulo no meio do Areópago, disse: Homens atenienses, em muito vejo que sois muito religiosos. Pois passando eu e vendo os vossos santuários, achei também um altar em que estava escrito: AO DEUS DESCONHECIDO. Ora Esse que vós honrais sem conhecer é o que eu vos anuncio. O Deus que fez o mundo e tudo que nele há...” Atos 17:22–24. Paulo era conhecedor da história e suas argumentações que, em muitos casos, estavam baseadas na contextualização. Temos nesse relato uma poderosa dialética.
“Em alguma época, durante o sexto século antes de Cristo, numa reunião do conselho na Colina de Marte, Atenas.
¬ “-- Diga-nos, Nícias, que aviso o oráculo de Pítias lhe deu?Por que esta praga caiu sobre nós? E por que os inúmeros sacrifícios realizados de nada adiantaram?
“-- Não é bem assim, replicou Nícias. -- Resta ainda um Deus a ser apaziguado.
“Trouxeram Epimênides da ilha de Creta.
“Disse Epimênides:“Vocês já se esforçaram muito ofertando sacrifícios aos seus numerosos deuses; entretanto, tudo se mostrou inútil.”
“E continuou: “Vou agora oferecer sacrifícios baseados em três suposições:
1 – Que existe outro deus interessado na questão da praga.
2 – Vou supor que este deus é bastante poderoso.
3– Um deus desconhecido, que quando invocado atende e torna conhecida a sua existência.
“Ao que as ovelhas se deitaram, ali as sacrificaram.
“Gravaram nesse altar ao “deus do desconhecido”. E este foi introduzido entre os deuses de Atenas.”
O fato histórico foi confirmado por Lucas, um historiador do primeiro século, ao descrever as aventuras de Paulo. Um dos métodos desse apóstolo era partir do conhecido para o desconhecido, como vemos no livro de Atos.
Consoante as palavras de Phil PARSHALL, vemos um processo de contextualização: “Aristóteles mostra que a palavra ‘um’ é usada em mais de um sentido. Ela pode ser usada para indicar unidade de quantidade ou unidade de essência. Por exemplo, uma molécula de água pode ser ‘uma’ numericamente sem ser uma ou singular em sua essência, como sua fórmula H2O indica.”
Pr. Chaguri
Mestre em Missiologia

0 comentários: