sábado, 23 de janeiro de 2010

MISSIO DEI - A Missão de Deus!


A missão não é uma tarefa exclusiva e imposta pela igreja, mas uma ação de Deus reconhecida como Missio Dei, na qual a igreja não deve, de per si, cumprir a missão de Salvação deste mundo, mas é a missão de Deus que a coloca em seu lugar. Por conseguinte, a missão é um movimento de Deus na igreja voltado para o mundo.
A evangelização depende da Bíblia e do plano de Deus. Sem eles isso seria impossível e também inconcebível. Isso por que a Bíblia e o plano de Deus colocam sobre o povo uma grande responsabilidade de evangelizar o mundo. Ensinam como fazê-lo e apresentam o poder salvífico de Deus para todo o crente. A Bíblia apresenta um mandado de evangelização do mundo, que está mui bem caracterizado em todas as Escrituras Sagradas. Ela traz um modelo de evangelismo que é demonstrado pelo exemplo de que, quando Deus nos falou nas Escrituras, Ele usou a linguagem humana e quando Ele nos falou em Cristo assumiu a carne humana.
A fim de Se revelar, Ele Se esvaziou e Se humilhou. Esse é o modelo de evangelismo autêntico.
Se retirarmos a Bíblia de cena, não existe Evangelho para levar às nações, nenhuma esperança de sucesso. O Evangelho é que dá a comissão, a mensagem, o modelo e o poder indispensável para a evangelização mundial.
É de grande urgência que os cristãos entendam quais são as bases sobre que repousam a missão cristã. Só então serão capazes de perseverar na tarefa missionária que lhes foi designada. Uns dos pontos principais no entendimento em relação à base, é que Deus revelou nas Escrituras quais as missões que Sua vontade designou ao Seu povo.
Quando se fala de missão, não se pode deixar de lado aquilo que a Bíblia diz em relação a Abraão. Deus fez uma promessa (Gên. 12:1-4); uma promessa complexa, mas que envolvia uma missão universal. O Deus que chamou a Abraão é o mesmo que, no início, fez os Céus e a Terra. O que mais desperta a atenção é que Deus escolheu um homem e sua família para que, através deles, pudesse abençoar todas as famílias da Terra. Primeiro Deus fez uma promessa de posteridade, assim ele devia deixar sua parentela e em troca Deus faria dele uma grande nação. Segundo, apresenta a promessa de posse de uma terra. Terceiro, a promessa de uma bênção. E o mais interessante de tudo, é que  isso tem a ver com missões, porque a promessa de Deus feita a Abraão recebe um cumprimento intermediário em Cristo e Sua igreja.
Deus suscitou filhos a Abraão, não de pedras, mas de uma fonte igualmente improvável, isto é, dos gentios! Portanto, Mateus, embora seja o mais judeu dos quatro escritores dos Evangelhos, registra mais tarde Jesus dizendo: “Digo-vos que muitos virão do Oriente e do Ocidente e tomarão lugares à mesa com Abraão, Isaque e Jacó no reino dos Céus. Ao passo que os filhos do reino serão lançados para fora, nas trevas.” Mateus 8:11-12.
A igreja recebeu ordens e modelos de Deus que a levam a cumprir sua missão. É fundamental ter consciência de que a igreja é, ao mesmo tempo, uma conseqüência e uma colaboradora de Deus. Assim, sua missão está ancorada na Missio Dei, que é sua participação e cooperação com o plano estabelecido pelo Deus Redentor aqui na Terra. Isso significa que a responsabilidade da igreja está na presença do reino em palavras e obras.
escrito por Pastor Chaguri. (excerto de sua dissertação de mestrado) "Paradigmas de Missão e Contextualização".

0 comentários: