sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

TRINDADE NA BÍBLIA

A Trindade na Bíblia

“Há um só Deus: Pai, Filho e Espírito Santo, uma unidade de três Pessoas coeternas” – Crença Fundamental n.º 2
Por Pr. Chaguri
Mestre em Missiologia / Antropologia.
Pastor da Igreja Adventista Central de Osasco


A doutrina da Trindade (do latim trinitas = “triunidade” ou “três-em-unidade”) é uma das mais importantes doutrinas da fé cristã. Mas ultimamente alguns têm questionado sua validade. Embora a palavra Trindade não seja encontrada na Bíblia (nem a palavra encarnação), o ensinamento que ela descreve é encontrado ali. A doutrina da Trindade estabelece o conceito de que há três Seres plenamente divinos: Pai, Filho e Espírito Santo, que formam um Deus. Por sua vez, Ellen White usa o termo “Divindade” que é encontrado em Romanos 1.20 e Colossenses 2.9. Através dessa palavra ela transmite a mesma idéia contida no termo Trindade, ou seja, há três Seres viventes na Divindade. Segundo uma de suas declarações, “há três pessoas vivas pertencentes ao Trio celeste; em nome destes três grandes poderes – o Pai, o Filho e o Espírito Santo – os que recebem a Cristo por fé viva são batizados, e esses poderes cooperarão com os súditos obedientes do Céu em seus esforços para viver a nova vida em Cristo”[1].
O próprio Deus é um mistério, quanto mais à encarnação ou a Trindade. Entretanto, isso não deveria nos embaraçar, já que os diferentes aspectos desses mistérios são ensinados nas Escrituras. “É compreensível em algumas de suas relações e modos de se manifestar, mas ininteligível em sua natureza essencial”.[2]
Certos elementos se tornarão claros, e outros permanecerão um mistério, pois “as coisas encobertas pertencem ao Senhor nosso Deus; porém as reveladas nos pertencem a nós e a nossos filhos para sempre, para que cumpramos todas as palavras desta lei” (Dt 29.29). Onde não temos uma palavra clara das Escrituras o silêncio é ouro. Escreveu Ellen White: “Há muitos mistérios que não busco compreender nem explicar; eles são muito elevados para mim e para vocês. Em alguns desses pontos, o silêncio é ouro”.[3]
A Trindade é uma barreira para impedir-nos avançar além do conhecido. Sim, se alguém pudesse explicar totalmente a natureza de Deus, Ele deixaria de ser Deus. Já pensou nisso? Em Isaías 45.15 diz: “Verdadeiramente Tu és Deus misterioso, ó Deus de Israel, ó Salvador.” Em Romanos 11.33-34 diz: “Ó profundidade da riqueza, tanto da sabedoria como do conhecimento de Deus! Quão insondáveis são os Seus juízos e quão inescrutáveis os Seus caminhos. Quem, pois conheceu a mente do Senhor? Ou quem foi o Seu conselheiro?”. Avançar ao encontro do que é oculto e misterioso, é laborar no campo minado por Lúcifer. Não compensa! Nós, cristãos, só conhecemos de Deus o que Ele nos revelou. E isso deve nos bastar. A Trindade bendita, santa, incompreensível, será apresentada em um período de dez sábados em artigos. Que você possa se deleitar na profundidade destes Seres extraordinários.

[1] White. Ellen G, Evangelismo, pg. 615.
[2] Idem, Testimonies For the Church, Vol. 8, pg. 295.
[3] Ibidem, Manuscrito 14, pg. 179.

1 comentários:

Tales Moura disse...

òtimo trabalho, primo.