domingo, 27 de dezembro de 2009

Queridos amigos,,,, 2010 de toneladas de bençãos,,,,
Pr. Chaguri

ESTADO DO HOMEM NA MORTE

Estado do Homem na Morte!

Qual foi a ordem de Deus para Adão e Eva? Gn.2:15-17
O que o casal fez? Gn.3:6,7
Qual é o salário do pecado? Rom.6:23
Porque a morte passou a todos os homens? Rom.5:12
Como pode o homem mortal tornar-se imortal? JO.3:12
Quando o ser humano passa a ter direito a vida eterna? JO.5:24
Quando dará Jesus a vida eterna aos que creram? Icor.15:21-23
Enquanto Jesus não vem, onde estão os mortos? Dn.12:2
Os mortos sabem de alguma coisa? Ecl.9:5,6;Sl.6:5
O que sai do homem ao morrer? Ecl.12:7
Esse espírito tem raciocínio ou consciência? Sl.146:4
Que espírito é esse que sai do homem ao morrer? Gn.2:7
Qual é a promessa de Jesus? JO.11:25,26; I Tess. 4:13-18
Qual deve ser a sua decisão? Mc.16:16

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

O SÁBADO – DIA DO SENHOR


1. Qual é o 1º dia da semana? Mt. 28:1
2. O que Deus fez no 7º dia? Gn. 1-3
3. Qual é o 4º mandamento da lei? Ex. 20:8-10
4. Quando começa e termina o sábado? Lv. 23:32
5. Qual é o dia da preparação? Lc. 23:54
6. Como é essa preparação? Ex. 16:1-30
7. Qual era o costume dos Apóstolos? At. 13:13-15,27,42-43;17:1-4; 18:1-4, 11, 18, 23; 19:10; 15:21
8. Qual era o costume das mulheres? Lc. 23:50-56; Mc. 16:1-2
9. E hoje, ainda resta um repouso para o povo de Deus? Hb. 4:9
10. Quando é o dia desse repouso? Heb. 4:4
11. Deve haver um esforço para entrar nesse descanso? Heb. 4:11
12. O que não fazer no Sábado? Is. 58:13-14; Nee. 13:15-22
13. O que devemos fazer no Sábado? Lc. 4:16-17,31; Mt. 12:12
14. Que dia será guardado na Nova Terra, o Sábado ou o domingo? Is. 66: 22-23
15. Qual deve ser a sua decisão? Dt. 5:12-14

HERMENÊUTICA BÍBLICA

Hermenêutica Bíblica
O termo "hermenêutica" deriva do grego hermeneuein, "interpretar". A Hermenêutica Bíblica cuida da reta compreensão e interpretação das Escrituras. Consiste num conjunto de regras que permitem determinar o sentido literal da Palavra de Deus.
A IMPORTÂNCIA DESTE ESTUDO
a. O próprio Pedro admitiu que há textos difíceis de entender: "os quais os indoutos e inconstantes torcem para sua própria perdição" (2 Pedro 3:15 e 16).
b. A arma principal do soldado cristão é a Escritura, e se desconhece o seu valor ou ignora o seu legítimo uso, que soldado será? (2 Timóteo 2:15).
c. As circunstâncias variadas que concorreram na produção do maravilhoso livro exigem do expositor que o seu estudo seja meticuloso, cuidadoso e sempre científico, conforme os princípios hermenêuticos.
1. A REGRA FUNDAMENTAL
A Escritura é explicada pela Escritura. A Bíblia interpreta a própria Bíblia..
2. PRIMEIRA REGRA
Enquanto for possível, é necessário tomar as palavras no seu sentido usual e ordinário..
3. SEGUNDA REGRA
É absolutamente necessário tomar as palavras no sentido que indica o conjunto da frase..
Esta regra tem importância especial quando se trata de determinar se as palavras devem ser tomadas em sentido literal ou figurado. Para não incorrer em erros, convém, também, deixar-se guiar pelo pensamento do escritor, e tomar as palavras no sentido que o conjunto do versículo indica.
4. TERCEIRA REGRA
É necessário tomar as palavras no sentido que indica o contexto, isto é, os versos que precedem e seguem o texto que se estuda.
5. QUARTA REGRA
É preciso tomar em consideração o desígnio ou objetivo do livro ou passagem em que ocorrem as palavras ou expressões obscuras..
6. QUINTA REGRA
É indispensável consultar as passagens paralelas explicando as coisas espirituais pelas espirituais (I Cor 2:13). (I Cor 2:13).
7. SEXTA REGRA
Um texto não pode significar aquilo que nunca poderia Ter significado para seu autor ou seus leitores.
8. SÉTIMA REGRA
Sempre quando compartilhamos de circunstâncias comparáveis (isto é, situações de vida específicas semelhantes) com o âmbito do período quando foi escrita, a Palavra de Deus para nós é a mesma que Sua Palavra para eles.

REJEITADO E EXALTADO

REJEITADO E EXALTADO
Pelo que também Deus O exaltou soberanamente, e Lhe deu um nome que é sobre todo o nome; para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos Céus, e na Terra, e debaixo da Terra, e toda a língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para glória de Deus Pai. Filip. 2. 9 – 11.
Numa noite escura, lúgubre e chuvosa, mais ou menos noventa e cinco anos atrás, estava um lavrador escocês sentado, cálida e confortavelmente, em seu casebre, quando bateram à porta. Abrindo-a, viu com a luz amarela de sua lâmpada o rosto de dois jovens. Ali de pé, na chuva, explicaram que estavam perdidos, e que muito apreciariam conseguir um lugar para dormir aquela noite. Àsperamente, o homem recusou. Ao Voltarem viram os homens as luzes de outra cabana um pouco mais adiante. Lá, foram cordialmente recebidos, e lhes deram todo o conforto que o humilde lar podia oferecer. Um dos jovens era o Príncipe de Gales, que mais tarde se tornou, por breve espaço de tempo, Eduardo VIII da Inglaterra.
Era outra noite. Outro Príncipe veio para outra casa. Também Ele foi mandado embora. Mas não havia outra simples cabana em que pudesse repousar. Em vez disso, encontrou um lugar para a Sua cabeça Real numa manjedoura de estábulo.
Queridos, aproxima-se o tempo em que todos serão testemunhas da coroação do Rejeitado. Incontáveis multidões, como Balaão, vê-Lo-ão, mas não agora. Fora dos muros da gloriosa cidade contemplarão fascinados, e tomados de respeito, o grande esplendor do Seu trono “elevado e exaltado.” Dentro desses maravilhosos muros estarão os remidos, e contemplarão como, revestidos de um poder e majestade que ninguém pode descrever, Cristo será coroado “Rei dos reis, e Senhor dos Senhores”. Então os lábios de todos os que O contemplam, tanto dos que estão como dos que não estão salvos, confessarão que “Jesus Cristo é o Senhor, para gloria de Deus Pai.”
Ao chegarmos, a mais um Natal e um Ano novo, e nos lembrarmos de Sua vinda em humildade para que pudéssemos ser exaltados; ao rememorar que Ele tomou as nossas fraquezas para que nos pudéssemos tornar fortes, exaltemo-Lo, agora e sempre, em nosso coração e vida, para que, afinal, possamos nos aproximar Dele. Que neste Natal possamos estender a nossa mão para o alto e levantar a nossa cabeça e ver as maravilhas que o Senhor tem feito em nós. Que neste Ano novo, possamos refletir em nosso interior, para que possamos estar entre os remidos.
Do seu amigo
Pr. Chaguri

TRINDADE NA BÍBLIA

A Trindade na Bíblia

“Há um só Deus: Pai, Filho e Espírito Santo, uma unidade de três Pessoas coeternas” – Crença Fundamental n.º 2
Por Pr. Chaguri
Mestre em Missiologia / Antropologia.
Pastor da Igreja Adventista Central de Osasco


A doutrina da Trindade (do latim trinitas = “triunidade” ou “três-em-unidade”) é uma das mais importantes doutrinas da fé cristã. Mas ultimamente alguns têm questionado sua validade. Embora a palavra Trindade não seja encontrada na Bíblia (nem a palavra encarnação), o ensinamento que ela descreve é encontrado ali. A doutrina da Trindade estabelece o conceito de que há três Seres plenamente divinos: Pai, Filho e Espírito Santo, que formam um Deus. Por sua vez, Ellen White usa o termo “Divindade” que é encontrado em Romanos 1.20 e Colossenses 2.9. Através dessa palavra ela transmite a mesma idéia contida no termo Trindade, ou seja, há três Seres viventes na Divindade. Segundo uma de suas declarações, “há três pessoas vivas pertencentes ao Trio celeste; em nome destes três grandes poderes – o Pai, o Filho e o Espírito Santo – os que recebem a Cristo por fé viva são batizados, e esses poderes cooperarão com os súditos obedientes do Céu em seus esforços para viver a nova vida em Cristo”[1].
O próprio Deus é um mistério, quanto mais à encarnação ou a Trindade. Entretanto, isso não deveria nos embaraçar, já que os diferentes aspectos desses mistérios são ensinados nas Escrituras. “É compreensível em algumas de suas relações e modos de se manifestar, mas ininteligível em sua natureza essencial”.[2]
Certos elementos se tornarão claros, e outros permanecerão um mistério, pois “as coisas encobertas pertencem ao Senhor nosso Deus; porém as reveladas nos pertencem a nós e a nossos filhos para sempre, para que cumpramos todas as palavras desta lei” (Dt 29.29). Onde não temos uma palavra clara das Escrituras o silêncio é ouro. Escreveu Ellen White: “Há muitos mistérios que não busco compreender nem explicar; eles são muito elevados para mim e para vocês. Em alguns desses pontos, o silêncio é ouro”.[3]
A Trindade é uma barreira para impedir-nos avançar além do conhecido. Sim, se alguém pudesse explicar totalmente a natureza de Deus, Ele deixaria de ser Deus. Já pensou nisso? Em Isaías 45.15 diz: “Verdadeiramente Tu és Deus misterioso, ó Deus de Israel, ó Salvador.” Em Romanos 11.33-34 diz: “Ó profundidade da riqueza, tanto da sabedoria como do conhecimento de Deus! Quão insondáveis são os Seus juízos e quão inescrutáveis os Seus caminhos. Quem, pois conheceu a mente do Senhor? Ou quem foi o Seu conselheiro?”. Avançar ao encontro do que é oculto e misterioso, é laborar no campo minado por Lúcifer. Não compensa! Nós, cristãos, só conhecemos de Deus o que Ele nos revelou. E isso deve nos bastar. A Trindade bendita, santa, incompreensível, será apresentada em um período de dez sábados em artigos. Que você possa se deleitar na profundidade destes Seres extraordinários.

[1] White. Ellen G, Evangelismo, pg. 615.
[2] Idem, Testimonies For the Church, Vol. 8, pg. 295.
[3] Ibidem, Manuscrito 14, pg. 179.