segunda-feira, 21 de julho de 2008

O PAPA BENTO 16 TRABALHA PELA UNIÃO DAS IGREJAS

O papa Bento 16 pediu a união de todas as religiões contra o terrorismo e pela resolução pacífica dos conflitos no mundo durante um discurso nesta sexta-feira em Sydney, na Austrália. A declaração foi feita em uma reunião com líderes de outras religiões, como a judaica, a hindu, islâmica e budista, como parte dos eventos que marcam o Dia Mundial da Juventude Católica. Segundo o pontífice, "a fé em Deus é motivo de união e não de divisão ou ódio". "Em um mundo ameaçado por formas de violência sinistras e indiscriminadas, a união das vozes dos povos religiosos encoraja as comunidades a resolver os conflitos por meios pacíficos e com respeito à dignidade humana", afirmou Bento 16. O papa afirmou ainda que a Igreja Católica estaria preparada para aprender com as outras religiões. "A Igreja busca por oportunidades para ouvir a experiência espiritual de outras religiões", disse. Antes do encontro, Bento 16 se reuniu com líderes de outras denominações cristãs e pediu para que seus representantes lutassem pela união dentro da fé cristã. "Acho que vocês concordam que o movimento ecumênico atingiu uma conjuntura crítica", disse o papa. ...Apesar do tom conciliador do papa durante a visita à Austrália, Bento 16 ainda não se desculpou publicamente, como era esperado, pelas vítimas dos abusos sexuais dentro da Igreja Católica. De acordo com o correspondente da BBC em Sydney, Nick Bryant, somente na Austrália, 107 padres foram condenados por abuso sexual de crianças e outros membros da Igreja. As duas reuniões com líderes religiosos marcaram o segundo dia da visita do papa ao país, por ocasião da Jornada Mundial da Juventude, um dos mais importantes eventos dirigido aos jovens organizado pela Igreja Católica. ...Além disso, o pontífice pediu para que as futuras gerações protejam ainda mais o meio ambiente já que, segundo ele, os recursos naturais estariam sendo dissipados. A visita de Bento 16 encerra no domingo, quando o papa irá fazer uma missa a céu aberto no Hipódromo de Randwick – evento que deve atrair milhares de peregrinos. (BBC Brasil)Nota: Há um século, Ellen White escreveu: "A vasta diversidade de crenças nas igrejas protestantes é por muitos considerada como prova decisiva de que jamais se poderá fazer esforço algum para se conseguir uma uniformidade obrigatória. Há anos, porém, que nas igrejas protestantes se vem manifestando poderoso e crescente sentimento em favor de uma união baseada em pontos comuns de doutrinas. Para conseguir tal união, deve-se necessariamente evitar toda discussão de assuntos em que não estejam todos de acordo, independentemente de sua importância do ponto de vista bíblico" (O Grande Conflito, p. 444). Já está mais do que claro que o terrorismo e a bandeira ecológica estão sendo usados como "cimento" para a união religiosa global. Alguma dúvida sobre quem será o líder dessa coalizão? Aparentemente, o ecumenismo é algo bom. Mas poucos percebem o que está por trás dessa proposta. Aos que quiserem mais informações sobre esse e outros cenários proféticos, sugiro a leitura do livro O Grande Conflito.

0 comentários: